Arábia Saudita investiga garota que postou vídeo de minissaia

Arábia Saudita investiga garota que postou vídeo de minissaia

Sites de notícia ligados ao regime noticiaram que membros da monarquia super conservadora muçulmana estão falando sobre tomar alguma ação contra a mulher, que violou as regras de vestimentas do país 

O Estado de S.Paulo

17 Julho 2017 | 17h48

DUBAI - Uma jovem saudita causou sensação na internet no fim de semana ao postar um vídeo dela usando uma minissaia e uma blusa curta e caminhando em lugar público, com alguns sauditas pedindo sua prisão e outros saindo em sua defesa nas redes sociais. 

 

Sites de notícia ligados ao regime noticiaram nesta segunda-feira, 17, que membros da monarquia super conservadora muçulmana estão falando sobre tomar alguma ação contra a mulher, que violou as regras de vestimentas do país. 

As mulheres na Arábia Saudita devem usar roupas longas e soltas conhecidas como abayas em público. A maioria delas cobre o cabelo e o rosto com véu negro, mas exceções são feitas para visitantes oficiais. 

O vídeo, primeiro compartilhado no Snapchat, mostra a jovem caminhando pelo histórico e vazio forte de Ushaiager, em um vilarejo ao norte da capital, Riad, na região desértica de Najd, onde muitas das mais conservadoras tribos da Arábia Saudita são originárias. 

No Twitter, houve uma disputa de hashtags, parte pedindo a prisão da mulher, parte  a liberdade para se usar o que quiser e isso não ser um crime. 

O escritor saudita Ibrahim al-Munayif, que tem mais de 41 mil seguidores no Twitter, escreveu em sua conta que permitir que pessoas desobedeçam a lei pode levar ao caos. “Assim como nós pedimos respeito às leis dos países para onde elas viajam, as pessoas também têm de respeitar as leis desse país”, escreveu. 

Outros defenderam a jovem postando imagens da visita do presidente Donald Trump à Arábia Saudita em maio, com a primeira-dama Melania Trump e a filha do presidente Ivanka  modestamente vestidas com decotes comportados e mangas mais longas, mas sem  véus ou abayas. 

Usuários escreveram que por ser uma estrangeira, as pessoas podiam falar sobre a beleza de Ivanka, mas como a jovem do protesto é uma saudita, as pessoas estavam pedindo sua prisão. 

O site de notícias saudita Okaz afirmou que autoridades em Ushaiager pediram ao governador da região e à polícia para tomar uma atitude contra a mulher em resposta ao vídeo compartilhado. O site Sabq informou que a polícia da moralidade do reino está agindo em conjunto com outras agências para investigar o caso. 

As mídias sociais são muito populares na Arábia Saudita como espaço para a população manifestar suas frustrações e expor sua opinião. 

Com mais da metade da população da Arábia Saudita com menos de 25 anos, o herdeiro do trono, de 30 anos, o príncipe Mohammed bin Salman, tem defendido uma maior abertura de entretenimento, em parte, para agradar à juventude do reino. Mas as regras rígidas de segregação de gênero e outras restrições sobre o movimento das mulheres permanecem imutáveis. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.