Reuters
Reuters

De olho em 2016, republicano moderado é reeleito em New Jersey

Chris Christie é visto como alternativa da oposição para sucessão de Barack Obama

O Estado de S. Paulo,

06 de novembro de 2013 | 10h29

O republicano moderado Chris Christie conquistou com facilidade a reeleição como governador de New Jersey, enquanto um conservador do partido apoiado pelo movimento radical Tea Party foi derrotado por pouco na disputa pelo governo de Virginia, em duas votações acompanhadas de perto com vistas à eleição presidencial de 2016.

O amplo apelo de Christie dentro do partido como um todo o coloca como um dos principais nomes dos republicanos caso decida concorrer à Casa Branca em 2016, e o governador abordou em seu discurso de vitória a frustração dos norte-americanos com os impasses provocados pelas disputadas entre os partidos em Washington. Com 99% das seções eleitorais apuradas, Christie teve 60,5% dos votos. A democrata Barbara Bruno ficou com 38%.

"Uma América desanimada, irritada com seu governo disfuncional em Washington, olha para New Jersey para dizer: 'O que eu acho que está acontecendo está realmente acontecendo? As pessoas estão realmente se unindo?'", disse Christie. "Deixe-me dar a resposta a todos os que estão assistindo hoje. Sob este governo, a nossa primeira tarefa é fazer o trabalho, e, enquanto eu for o governador, esse trabalho vai sempre, sempre, ser concluído.

Na Virgínia, o ex-presidente do Comitê Nacional Democrata Terry McAuliffe foi eleito governador, em grande parte com o apoio dos subúrbios de Washington densamente povoados que foram bastante atingidos pela paralisação do governo federal no mês passado.

A campanha de McAuliffe retratou o adversário Ken Cuccinelli, procurador-geral do Estado, como um símbolo da ala radical do Partido Republicano conhecida como Tea Party - vista por muitos eleitores como responsável pela paralisação, que segundo economistas teve um impacto de 24 bilhões de dólares na economia dos EUA.  McAuliffe, amigo do ex-presidente Bill Clinton, recebeu 48% dos votos, e Cuccinelli teve 45%. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
euaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.