De volta à campanha, Obama e Hillary trocam farpas

Os pré-candidatosdemocratas à presidência dos EUA, Barack Obama e HillaryClinton, questionaram-se mutuamente na sexta-feira quanto à suasinceridade, liderança para a segurança nacional e credenciaiseconômicas, abrindo uma nova etapa na longa disputa partidáriapela candidatura à Casa Branca. No Mississipi, onde há primária na terça-feira, Hillaryrepetiu a idéia de que poderia formar chapa com Obama contra orepublicano John McCain na eleição de novembro. Obama, que vem pregando a coesão partidária e o respeitoentre os adversários, aceitou a demissão da sua assessoraSamantha Power, que havia chamado Hillary de "monstro" ementrevista a um jornal britânico. Mas o que realmente foi usado pela campanha de Hillary foioutra frase de uma entrevista de Power, desta vez para a BBC,em que ela diz que a retirada imediata de tropas do Iraque,defendida por Obama na campanha, é apenas "o melhor cenário"que ele vai avaliar caso se torne presidente. "Enquanto o senador Obama faz campanha por seu plano deacabar a guerra, seus principais assessores dizem às pessoas noexterior que ele não vai usar seu próprio plano caso se tornepresidente", disse Hillary a jornalistas em Hattiesburg, noMississipi. "Esse é mais um exemplo de prometer uma coisa ao povonorte-americano na campanha e dizer outra coisa às pessoas deoutros países", afirmou ela. "Se ele continuar assim, não estoucerta sobre em que o povo norte-americano deve acreditar." Recentemente, a campanha de Hillary atacou o rival com baseem relatos segundo os quais um assessor dele teria dito aautoridades canadenses que Obama não pretende renegociar oTratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta), aocontrário do que o senador vinha dizendo nos palanques. David Plouffe, chefe da campanha de Obama, desautorizou asdeclarações de Power sobre o Iraque, afirmando a jornalistasque o candidato tem "um compromisso sólido como uma rocha" deiniciar uma desocupação imediata. Hillary venceu na terça-feira nos Estados de Ohio, Texas eRhode Island, evitando assim o naufrágio da sua candidatura.Mas Obama ainda tem ampla vantagem em termos de delegados jáescolhidos para a convenção nacional de agosto. Pela segunda vez na semana, Hillary se disse aberta aformar chapa com Obama -- com ela como presidente. "Muita gentediz: 'Gostaria de votar em vocês dois. Bem, isso pode serpossível um dia. Mas antes preciso do seu voto na terça-feira",disse ela no Mississipi. Na sexta-feira, Hillary e Obama foram ao Estado do Wyoming(noroeste), que elege 12 delegados neste sábado. Outros 33serão escolhidos na terça-feira no Mississipi. (Reportagem adicional de Jeff Mason e Caren Bohan) REUTERS TS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.