Debate de vices nos EUA teve audiência recorde, diz auditoria

Com 45 pontos de audiência, discussão de Palin e Biden foi mais vista que confronto entre Obama e McCain

Reuters,

03 de outubro de 2008 | 17h09

O debate de quinta-feira à noite entre a republicana Sarah Palin e o democrata Joe Biden bateu o recorde de audiência dos confrontos entre candidatos a vice-presidente dos EUA, segundo dados preliminares divulgados nesta sexta, 3, pela auditoria Nielsen Media Research. Eles apontam uma audiência domiciliar média de 45 pontos nas 55 principais áreas metropolitanas dos EUA. Os índices finais e o número absoluto de espectadores do debate devem ser divulgados ainda nesta sexta. Veja também: Palin passa no teste e alivia republicanos Para indecisos, Biden venceu debate Veja a cobertura do debate no blog  Galeria de fotos  Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA  Os dados preliminares já superam amplamente a audiência do primeiro debate entre os candidatos a presidente John McCain e Barack Obama, na sexta-feira, que atingiu apenas 32,2 pontos - uma audiência de 52,4 milhões de pessoas, segundo a Nielsen. Se os números de quinta-feira se confirmarem, deve ter sido o debate entre candidatos a vice-presidente mais assistido na história norte-americana, superando o confronto entre Geraldine Ferraro e o então vice-presidente George H. Bush, em 1984. A democrata Ferraro foi a primeira mulher candidata a vice por um grande partido nos EUA. O confronto Palin-Biden tem tudo para ter sido o debate político mais assistido nos EUA nos últimos 16 anos --desde o histórico encontro de 1992 entre o então presidente George H. Bush, o independente Ross Perot e o democrata Bill Clinton, que acabou eleito. O debate de quinta-feira despertou especial interesse por causa das dúvidas a respeito da preparação política de Palin, governadora em primeiro mandato no Alasca, cuja indicação para compor chapa com McCain, há pouco mais de um mês, inicialmente ajudou os republicanos nas pesquisas. Pesquisas instantâneas da CBS e CNN mostraram que Biden se saiu melhor do que Palin, em grande parte porque conseguiu conter sua tendência à verborragia e manteve um tom respeitoso em relação à rival.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.