Jason Reed/Reuters
Jason Reed/Reuters

Debate é visto como crucial para tentativa de Obama de se reeleger

Perguntas aos candidatos serão feitas por uma plateia formada por eleitores indecisos

BBC

16 de outubro de 2012 | 16h33

WASHINGTON - O embate desta terça-feira entre Mitt Romney e Barack Obama - em que as perguntas são feitas diretamente por eleitores indecisos - pode definir o resultado das eleições nos Estados Unidos. Enquanto escrevo, isso parece um pouco dramático, colocando peso demais em apenas um evento.

Veja também:

tabela ESPECIAL: Eleições nos EUA

blog Acompanhe, ao vivo, o debate entre Obama e Romney

Mas vale a pena considerar esse fato: o fracasso de Obama e o sucesso de Romney no último debate coincidiram com uma mudança nas pesquisas de opinião. A diferença entre eles se estreitou. E muitas pesquisas mostraram, pela primeira vez, Romney na liderança.

É claro que o debate desta noite, em Nova York, pode não mudar nada, mas agora ninguém mais duvida do poder de um debate. Outra performance fraca de Obama pode, na verdade, selar seu destino.

Nem quente nem frio

A equipe de Obama o "trancou" por quatro dias para sua preparação. Poucos duvidam do seu domínio sobre os fatos. Então, isso não significa prepará-lo sobre temas como a geografia do Afeganistão.

O debate vai ser sobre estilo e imagem. Presumidamente, Obama vai ser questionado sobre o que deu errado na última vez. Alguns analistas disseram que ele estava distraído porque havia acabado de receber péssimas notícias do serviço secreto.

Já outros disseram que sua postura mostrou como ele perdeu sua motivação para vencer. Certamente, Obama frequentemente parece encarar seu trabalho como um fardo e não como um prazer. Mas talvez seja apenas porque ele queria manter um ar de presidente e ficar acima de discussões pequenas. Mas talvez ele tenha errado na dose ao passar a impressão de estar desinteressando e distraído.

Seria uma grande surpresa se ele cometesse esse erro de novo. Mas sua precaução teve um porquê. Alguns dos comentários sobre o debate entre vice-candidatos dizem que o vice de Obama, Joe Biden, foi muito duro, muito rude e demonstrou desprezo pelo rival.

O trabalho duro de Romney acabou compensando no último minuto e uma segunda vitória em um debate seria um incrível prêmio para ele. Acredito que uma questão central para Obama durante o debate será a morte do embaixador americano John Christopher Stevens, em Benghazi, na Líbia, em ataque ocorrido no mês passado - as questões serão sobre política americana e internacional.

E o presidente terá de ser mais claro sobre as lições tiradas da tragédia . Ele também terá de delinear uma linha mais clara sobre o que ele fará no Afeganistão e na Síria.

Permissão para mudar?

Mas eu acho que as duas equipes vão analisar a dinâmica que levou às mudanças nas pesquisas de opinião. Na superfície, é apenas estranho que um único debate pode ter produzido tamanha mudança.

Eu ouvi explicações intrigantes sobre isso vindas de estrategistas republicanos. Eles argumentam que as pessoas que votaram para Obama da última vez, em um clima de esperança, agora podem se permitir a não fazer isso de novo.

A falta de engajamento de Obama, sua falta de respostas e de entusiasmo no debate foi extremamente diferente do entusiasmo que ele inspirou em 2008. Ao mesmo tempo, Romney surgiu como uma figura diferente do que os eleitores liam e ouviam sobre ele. E isso não está relacionado a algum viés da imprensa. Ele normalmente é insensível e duro diante das pessoas e sua campanha tem sido malfeita e desorganizada.

Adicione a isso o desejo dos democratas a pintá-lo como um temeroso ultraconservador. No debate, ele pode dar a impressão de ser educado e nada assustador. A 21 dias da eleição, esse próximo debate não poderia ser mais importante para os dois candidatos - e para o país.

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.