Debate sobre terrorismo vira bate-boca na ONU

O embaixador de Israel usou uma reunião do Conselho de Segurança (CS) da ONU, nesta quinta-feira, para acusar a Síria de ser ?um dos maiores patrocinadores do terrorismo no mundo?, enquanto que o representante de Cuba atacou os Estados Unidos por abrigar terroristas anticubanos.A troca de acusações sublinham a dificuldade de definir terrorismo, que vem impedindo a ONU de adotar um tratado amplo a respeito do tema. Após os ataques de 11 de setembro de 2001 contra os EUA, o CS exigiu que todos os países parassem de apoiar, abrigar ou financiar terroristas, e criou um comitê para acompanhar como as nações combatem o terror.Mas velhas disputas sobre como definir terrorismo voltaram à tona. Para a Síria, a ocupação dos territórios palestinos por Israel é terrorismo. Israel se referiu aos militantes suicidas como ?assassinos, não mártires?.Colômbia e Irã destacaram os laços entre o terror e o tráfico de drogas. a Austrália lembrou o risco de terroristas terem acesso a armas de destruição em massa.O embaixador israelense, Dan Gillerman, acusou a Síria de oferecer apoio ?continuado, extensivo e sem disfarces a nada menos que dez diferentes organizações terroristas?. ?De que vale a campanha contra o terrorismo, se outros vêem os Estados que falham de forma flagrante em cumprir suas obrigações escaparem de censura e serem, ainda, elevados a posições de proeminência nas Nações Unidas??, perguntou Gillerman. Fayssal Mekdad, embaixador-delegado para a Síria, que é um dos dez membros do CS a servir em mandatos de dois anos, acusou Gillerman de usar ?truques baratos? e chamou Israel de ?símbolo e encarnação do terror?.?Parece que Israel não consegue entender que ocupação é terror?, disse ele. ?A Síria sempre valorizou a cooperação com todos os demais países do mundo ... para combater o terrorismo e eliminá-lo?.A despeito da retórica acalorada, o embaixador do Reino Unido se disse animado pelo ?senso de ímpeto global por trás de nossa luta contra o terrorismo?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.