Debate sobre venda de terras vira briga na Rússia

Após uma conturbada sessão no Parlamento, congressistas russos aprovaram, em votação preliminar, a venda limitada de terras, boa parte das quais continua em poder do Estado. A venda, segundo o Partido Comunista, destruirá o país ao colocar suas riquezas nas mãos de magnatas e estrangeiros. O alvoroço no parlamento, palco de pancadaria e gritos de protesto, refletiu o ressentimento de muitos russos com relação a uma década de reformas pós-comunistas no país, graças às quais muitos ficaram ricos, mas milhões acompanharam a deterioração da qualidade de vida. A tevê russa mostrou dois parlamentares trocando socos.Antes da votação, os comunistas e seus aliados tomaram o palanque da Duma, câmara baixa do Parlamento, e obrigaram o ministro da Economia, German Gref, defensor da iniciativa governamental para permitir as vendas de terras não agropecuárias, a responder na tribuna do governo. Gref, que falou resolutamente enquanto os comunistas gritavam "vergonha" e batiam em suas mesas, disse que a sociedade quer o debate da lei. Os comunistas logo saíram do recinto, mas alguns começaram a se empurrar. Após a briga, a medida foi aprovada por 251 votos a 22, com apoio dos deputados favoráveis ao Kremlin, na primeira de suas três votações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.