Decisão da OMS sobre Sars enfurece Taiwan

Autoridades da área de saúde de Taiwan estavam furiosas com a decisão da Organização Mundial de Saúde (OMS) de não levantar um alerta contra viagens à ilha, devido à epidemia da Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars). A OMS considera a exportação de casos de Sars como um fator-chave para a decisão de alertas sobre viagens. A revolta das autoridades taiwanesas é decorrente do fato de a OMS não ter emitido um aviso contra Toronto, a maior cidade do Canadá.A OMS decidiu manter Toronto fora da lista de regiões para onde é aconselhável não viajar, apesar de a cidade se cumprir diversos critérios necessários para o alerta. A OMS tinha colocado Toronto na lista no mês de abril, decisão que foi mal recebida pelas autoridades políticas e de saúde canadenses.O Ministério da Saúde de Taiwan afirmou que a decisão da OMS é injusta e que a ilha enviou um protesto formal à sede da OMS, em Genebra. A Sars já matou pelo menos 790 pessoas em todo o mundo, com 8.300 casos - a maioria na Ásia. Em Taiwan, foram 81 mortes e 687 casos. No Canadá, o número de mortos pela doença está em 33, com 216 casos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.