Decisão de Israel ameaça solução de 2 Estados, diz UE

A decisão de Israel de construir cerca de 1,2 mil novos apartamentos de assentamento em territórios ocupados é ilegal sob a legislação internacional e ameaça impossibilitar a solução de dois Estados, segundo Michael Mann, porta-voz da União Europeia.

AE, Agência Estado

12 de agosto de 2013 | 08h49

No domingo, o Ministério de Habitação de Israel deu aprovação final para a construção dos assentamentos. A decisão foi anunciada apenas três dias antes de negociações sobre as fronteiras começarem Jerusalém.

O porta-voz da UE, Michael Mann, pediu que os dois lados "evitassem medidas que possam prejudicar" as negociações de paz. Mann disse que a prioridade da UE é que uma nova rodada de negociações entre Israel e os palestinos siga em frente e "faça progressos".

Após a decisão do Ministério, os palestinos disseram que devem apresentar queixas para os EUA e Europa. O responsável pelas negociações no lado palestino, Mohammed Shtayyeh, disse que o anúncio de Israel "é uma prova clara de que o governo israelense não" está lidando com as negociações de maneira séria. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
israelpalestinaassentamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.