Decisão sobre dissidente é assunto interno, diz China

O Ministério das Relações Exteriores da China afirmou hoje que a decisão sobre libertar ou não o vencedor do Prêmio Nobel da Paz, Liu Xiaobo, é um assunto interno do país. Antes, vários pedidos internacionais foram feitos pela imediata libertação do dissidente, entre eles um do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

AE, Agência Estado

12 de outubro de 2010 | 13h55

Questionado sobre a declaração de Obama pela libertação de Liu, um porta-voz do ministério, Ma Zhaoxu, disse que a China se opõe a que qualquer um "faça disso um tema" ou interfira em assuntos internos do país. O funcionário reiterou que o Nobel da Paz para o dissidente prejudicará as relações entre a China e a Noruega, mesmo que a fundação que conceda o Nobel seja independente do governo, e que a premiação deixou "o povo chinês descontente". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaNobelLiu Xiaobo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.