Decisão sobre pena de Sakineh é adiada em 1 semana

O Comitê Internacional Contra Apedrejamento informou neste sábado que a Justiça iraniana adiou em mais uma semana a decisão sobre a pena de Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada a apedrejamento inicialmente por adultério e agora acusada de envolvimento na morte de seu marido.

AE, Agência Estado

14 de agosto de 2010 | 19h19

Segundo a organização que lidera a campanha pela vida de Sakineh, o novo advogado da iraniana, Houtan Kian, compareceu hoje à corte de Tabriz, onde a mulher está presa, para ser informado sobre a sentença de sua cliente. As autoridades, no entanto, pediram mais informações sobre o caso e deram mais uma semana de prazo para a decisão da sentença. Deste modo, a Justiça comunicará se Sakineh será enforcada ou apedrejada até a morte provavelmente em 21 de agosto.

Para o Comitê, o adiamento da sentença indica que a pressão da opinião pública mundial e a crescente onda de protestos internacionais estão surtindo efeito sobre a República Islâmica. A ONG também pede que Sakineh seja libertada imediatamente, defendendo sua inocência.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãSakinehapedrejamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.