Decisão sobre Pinochet é adiada

A Corte Federal de Apelações de Santiago adiou para o início da próxima semana o anúncio da decisão do tribunal sobre a anulação ou a ratificação da sentença emitida no mês passado pelo juiz Juan Guzmán, que determinou o indiciamento e a prisão domiciliar do ex-ditador chileno Augusto Pinochet. A resolução da Corte deveria ser divulgada ontem, mas foi adiada sem explicações sobre o motivo da demora. Desde o início desta semana, os três magistrados integrantes de uma Sala da Corte chegaram a uma decisão sobre o caso, segundo adiantou a juíza Gabriela Pérez. Pinochet foi indiciado e submetido à prisão domiciliar em 29 de janeiro por decisão do juiz Guzmán, que o responsabilizou por 57 homicídios e 18 seqüestros de desaparecidos cometidos pela denominada Caravana da Morte, uma comitiva militar enviada pelo ex-governante para acelerar os julgamentos de prisioneiros políticos. Pinochet, de 85 anos, continua recluso em sua casa de campo de Los Boldos, a 145 km a sudoeste de Santiago.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.