Declaração de cúpula da AL ignora proposta contra EUA

A declaração final da cúpula dos líderes da América Latina e do Caribe, divulgada hoje, não incluiu a proposta do presidente da Bolívia, Evo Morales, de expulsar os embaixadores norte-americanos dos países, se a próxima administração em Washington não levantar o embargo econômico a Cuba. O anfitrião do encontro, o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, comentou no fechamento da cúpula que era melhor dar tempo a Barack Obama, presidente eleito dos EUA, para que assuma o poder e defina a política para a América Latina.Morales tentou impor um prazo para que Obama coloque um final ao embargo econômico americano a Cuba, que dura desde 1962. "Quero fazer uma proposta que desagradará a muitos: dar um prazo ao novo governo norte-americano para levantar o bloqueio econômico (a Cuba)", disse durante o encontro de governantes no nordeste do Brasil."Se o governo americano não levanta o embargo econômico, nós retiraremos nossos embaixadores", disse Morales. Mas a iniciativa não foi incluída na declaração final da cúpula nem atraiu o respaldo dos participantes do encontro. "Precisamos ter prudência e diplomacia e esperar que Obama tome posse. Tenho esperanças de que ocorrerá uma mudança na política norte-americana para a América Latina e o Caribe", disse Lula. A declaração final da cúpula traz um pedido para colocar um fim ao embargo a Cuba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.