Declarações de Rumsfeld revoltam franceses

Os ministros franceses reagiram furiosos nesta quinta-feira às palavras do secretário de Defesa dos Estados Unidos, Donald H. Rumsfeld, segundo o qual a opinião da França e da Alemanha - às quais chamou de "velha Europa" - deveriam ser desconsideradas, e afirmaram que a declaração do norte-americano somente reflete a arrogância dos Estados Unidos. Em visita a Berlim, o presidente francês, Jacques Chirac, pediu calma para evitar que uma "pequena rusga" transforme-se numa crise diplomática de grandes proporções. A porta-voz de Chirac, Catherine Colonna, comentou que o presidente francês considera "legítimo" o debate sobre a guerra contra o Iraque, mas deseja que este trancorra "com calma e seriedade". No entanto, suas palavras não impediram que os ministros franceses dessem declarações revoltadas. "Se você soubesse o que eu senti...", desabafou a ministra da Ecologia Roselyne Bachelot em entrevista a uma rádio local. O ministro das Finanças Francis Mer disse estar "profundamente envergonhado" com as palavras de Rumsfeld. "Eu gostaria de lembrar a todos que esta ´velha Europa´ tem elasticidade, é capaz de voltar atrás", alfinetou em entrevista à emissora de televisão LCI. "Nós mostraremos isto no momento adequado." O porta-voz do governo, por sua vez, sugeriu a Rumsfeld que dê atenção aos conselhos sábios da "velha Europa", propiciados por sua longa história. "Quando se vive num velho continente, um continente com uma vasta tradição histórica, econômica e cultural, é possível herdar alguma sabedoria. E a sabedoria pode ser uma excelente conselheira", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.