Defesa de Manning acusa promotoria de esconder provas

Um juiz militar ordenou que procuradores deem explicações sobre acusações de que teriam retido provas no caso do soldado Bradley Manning, acusado de participação no maior vazamento de informações secretas norte-americanas da história do país.

AE, Agência Estado

25 de junho de 2012 | 20h20

A decisão foi divulgada nesta segunda-feira, durante uma audiência antes do julgamento do militar, em Fort Meade, Maryland.

Os advogados de Manning afirmam que os promotores se esquivaram de suas obrigações de compartilhas provas que pudessem ajudar a defesa. A coronel Denise Lind atendeu à moção da defesa, que exige que os promotores relatem as medias tomadas para cumprirem sua obrigação.

Mas ela negou o pedido de David Coombs, advogado de defesa de Manning, de suspender os procedimentos judiciais nesse período. Coombs disse que as medidas tomadas pela promotoria afetaram o direito de Manning de ter um julgamento justo.

Manning é acusado de ajudar o inimigo ao entregar centenas de milhares de documentos secretos e imagens de guerra ao WikiLeaks. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUAManningWikiLeaks

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.