Defesa de Mladic recorre da decisão de extraditá-lo para Haia

Conselho judicial deverá decidir sobre entrega de ex-militar sérvio ao TPII em um prazo máximo de três dias

Efe

30 de maio de 2011 | 09h19

 

Família alega que ex-militar sérvio não tem condições de saúde para ser extraditado

 

BELGRADO - A defesa do detido suposto criminoso de guerra Ratko Mladic recorrerá nesta segunda-feira, 30, último dia do prazo previsto por lei, da decisão da judicatura sérvia sobre sua entrega ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII).

 

Veja também:

lista Saiba quais os processos que Ratko Mladic enfrenta

documento Perfil: Mladic, o responsável pelo massacre de Srebrenica

som 'Estadão ESPN': Repórter comenta prisão de Mladic

 

Milos Saljic, o advogado de Mladic, anunciou que enviará por correio o recurso, mas não se pode prever com exatidão neste momento se sua queixa chegará ao tribunal sérvio ainda hoje ou amanhã.

 

Segundo a lei, o conselho judicial deverá decidir finalmente então sobre sua extradição ao TPII, com sede em Haia, em um prazo máximo de três dias.

 

"Não se exclui que se decida no primeiro ou no segundo dia, dependendo de alguns fatos que eventualmente o tribunal deveria estabelecer", explicou o promotor adjunto sérvio de crimes de guerra, Bruno Vekaric.

 

A família de Ratko Mladic denuncia seu mal estado da saúde, já que nos anos passados sofreu um derrame cerebral e sofre de várias doenças crônicas, e anunciou que pedirá um exame médico independente sobre sua capacidade de acompanhar o processo que o espera em Haia.

 

Saiba mais:

linkSérvia 'precisa fazer mais' para entrar na União Europeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.