Defesa: estado do Haiti continua tão grave quanto antes

Apesar dos esforços internacionais, a situação do Haiti continua tão grave quanto no ano passado, quando o país foi abalado por um terremoto, disse hoje o vice-almirante Ney Zanella, vice-chefe de Preparo e Emprego do Ministério da Defesa.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

12 de janeiro de 2011 | 18h37

"A situação continua tão grave quanto na época do terremoto, e (hoje) tem o agravante político", disse o vice-almirante, referindo-se à turbulência local com o primeiro turno das eleições, marcado por epidemia de cólera e suspeitas de fraude. Atualmente, o contingente das Forças Armadas no Haiti é composto por 2.231 homens.

A presença do grupo naquele país foi renovada para pelo menos até outubro deste ano, informou Zanella. Dezoito militares brasileiros morreram no terremoto que atingiu o Haiti em janeiro do ano passado.

Tudo o que sabemos sobre:
HaitiDefesaBrasilajudaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.