Déficits são "inevitáveis", diz Snow

O secretário do Tesouro dos EUA, John Snow, defendeu o novo orçamento com déficit recorde da administração do presidente George W. Bush, dizendo que o déficit é inevitável, considerando os esforços para combater o terrorismo, aumentar a segurança doméstica e reativar a economia. "Déficits importam. Eles nunca são bem-vindos", disse Snow em discurso preparado para o Comitê de Meios e Recursos da Câmara. "Mas há momentos, tais como esse, quando eles (déficits) são inevitáveis, particularmente quando nós somos obrigados a lidar com necessidades nacionais críticas", acrescentou.O Comitê da Câmara reuniu-se para debater o orçamento apresentado pelo presidente Bush, de US$ 2,23 trilhões para o ano fiscal 2004, que prevê um déficit recorde de US$ 307 bilhões. Os democratas argumentam que o déficit é resultado da fixação do presidente Bush por cortes de impostos, tais como o corte de US$ 1,35 trilhão em 2001 e o corte de US$ 1,5 trilhão proposto no último orçamento.Snow disse que acredita que a economia está se recuperando, mas não rápido o suficiente. "Muitos americanos estão sem trabalho hoje, e muitos americanos estão inseguros sobre o futuro", disse o secretário do Tesouro. "Enquanto houver americanos que querem um emprego e não conseguem encontrar um, a economia não vai crescer rápido o suficiente", disse Snow. Ele disse que o pacote econômico do presidente Bush, baseado em corte de impostos, que o Tesouro agora estima que irá custar US$ 695 bilhões até 2013, vai criar "bem mais de um milhão" empregos até o final do próximo ano. Para controlar os déficits, Snow disse que o governo deve conter gastos e promover o crescimento econômico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.