Delegação do Hamas discutirá troca de soldado israelense

Uma delegação do Hamas da Síria irá viajar ao Cairo nesta segunda-feira para conversas com membros do governo egípcio sobre uma possível troca de prisioneiros por um soldado israelense seqüestrado, segundo alto membro do grupo palestino. Moussa Abu Marzouk, ex-chefe do escritório político do Hamas na Síria, disse que a delegação será liderada por Imad al-Alami, representante do Hamas na Síria, que irá se encontrar com o chefe da Inteligência do Egito, Omar Suleiman, para discutir a respeito do soldado e da formação de um governo palestino unificado. Abu Marzouk disse que o líder político do Hamas, Khaled Mashaal, que vive exilado na Síria, não irá participar das conversas. Marzouk afirma que certo progresso político foi feito no sentido de libertar o soldado Gilad Shalit, por palestinos presos em cadeias israelenses, mas há alguns problemas para o acordo. Os entraves seriam o momento, nomes e números de palestinos a serem libertados, disse Marzouk. Shalit foi caputrado em 25 de junho e acredita-se que ele esteja sendo mantido na Faixa de Gaza. Seu seqüestro desencadeou uma ofensiva militar na região que já resultou na morte de mais de 200 palestinos.Em Jerusalém, o premier Ehud Olmert afirmou nesta segunda-feira que nenhum prisioneiro seria libertado enquanto Shalit permanecesse seqüestrado. Em Damasco, Abu Marzouk afirmou que a troca de prisioneiros esta focada na libertação em três estágios de 1.400 palestinos presos em Israel, incluindo 400 crianças e mulheres, em troca de Shalit.Em julho, outros dois soldados israelenses foram seqüestrados por militantes do grupo xiita Hezbollah, o que desencadeou a recente guerra no Líbano, durante os meses de julho e agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.