Delegação européia chega ao Oriente Médio

Funcionários palestinos receberam neste sábado uma delegação de diplomatas da União Européia (UE) para ajudar a impulsionar o retorno imediato às negociações de paz, mas disseram que as propostas européias funcionariam em sintonia com as iniciativas norte-americanas. A delegação - composta pelo presidente da Comissão Européia, Romano Prodi, pelo chefe da política externa da UE, Javier Solana, e pelo atual detentor da presidência rotativa da UE, o primeiro-ministro belga Guy Verhosftadt - encontrou-se com o presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat, em seu gabinete em Ramallah, na Cisjordânia.Eles se reunirão amanhã com líderes israelenses.A delegação chegou à Cisjordânia proveniente do Egito, onde reuniu-se mais cedo com o presidente egípcio Hosni Mubarak. "Não criaremos expectativas. A Europa nos disse mais de uma vez que não trabalhará fora de sintonia com os Estados Unidos, nem em competição com os Estados Unidos, mas sim em total cooperação com os Estados Unidos", disse à Associated Press o negociador palestino Saeb Erekat."A participação européia é uma tentativa de convencer os Estados Unidos sobre a necessidade de se apresentar uma iniciativa que considere o fim da ocupação israelense, de acordo com as resoluções internacionais", disse Erekat.Erekat referia-se às resoluções 242 e 338 do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, que pedem a retirada do Exército judeu das terras ocupadas. Adotadas respectivamente em 1967 e 1973, elas foram utilizadas como base para negociações de paz no Oriente Médio. Recentemente, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, declarou-se favorável ao estabelecimento de um Estado palestino dentro das fronteiras reconhecidas pelo Conselho de Segurança da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.