Shin Joon-hee/Yonhap via REUTERS
Shin Joon-hee/Yonhap via REUTERS

Delegação norte-coreana chega a Seul para inspeção prévia dos Jogos de Inverno

Grupo atravessou a fronteira entre os dois países de carro e foi liderado na chegada à estação sul-coreana por cantora pop

O Estado de S.Paulo

21 Janeiro 2018 | 01h53

SEUL - Uma delegação da Coreia do Norte chegou neste domingo, 21, a Seul para inspecionar os locais e preparar as apresentações culturais previstas nos Jogos Olímpicos de Inverno, que começam no dia 9 de fevereiro na cidade sul-coreana de Pyeongchang. Trata-se da primeira visita de funcionários norte-coreanos à Coreia do Sul em quatro anos.

++ Com equipe unida, Coreias fecham acordo final para Jogos Olímpicos

As televisões sul-coreanas transmitiram imagens de um grupo de sete funcionários conduzido por Hyon Song-Wol, líder de uma banda pop formada apenas por mulheres e muito popular na Coreia do Norte.

Eles atravessaram a fronteira entre os países de carro antes de chegar à estação de trens de Seul, uma hora depois. Hyon, que dizem ter sido namorada do líder norte-coreano Kim Jong-un, subiu no trem sem falar com os jornalistas.

A delegação, escoltada por centenas de agentes da polícia sul-coreana, embarcou em um trem com destino a Gangneung, no leste do país, um dos locais que farão parte da Olimpíada.

++ Pyongyang estaria preparando desfile militar antes de Jogos de Inverno

A visita ocorre duas semanas após a Coreia do Norte aceitar participar dos Jogos de Inverno. As duas Coreias decidiram desfilar juntas, sob uma bandeira única durante a cerimônia de abertura do evento, e formar uma equipe feminina comum de hóquei sobre gelo. O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-In, no cargo desde maio de 2017, defende o diálogo com os norte-coreanos.

++ Análise: Kim Jong-un lança uma ofensiva de charme olímpica

No sábado, 20, o Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que os 22 desportistas norte-coreanos que participarão dos jogos ficarão hospedados na vila olímpica.

Seul e os organizadores esperam que os Jogos de Inverno, dos quais querem fazer "jogos de paz", sirvam para acalmar as tensões na península, que aumentaram nos últimos meses por conta dos lançamentos de mísseis e teste nucleares de Pyongyang. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.