Delegações de 72 países estarão na posse de Morales

Delegações de 52 países participam hoje da cerimônia de posse do novo presidente da República da Bolívia, Evo Morales. Presidentes de 13 países confirmaram presença na cerimônia, que deve ser realizada por volta de meio-dia, no Congresso Nacional boliviano. O presidente Lula desembarca nesta manhã no Aeroporto de El Alto e segue para a casa do embaixador brasileiro, Antonio Lisboa Mena Gonçalves, para uma rápida visita. Às 12h15, Lula deve chegar ao Congresso Nacional, na Praça Murillo, para assistir à cerimônia oficial de posse de Evo Morales e Álvaro García Linera, novos presidente e vice-presidente da Bolívia. Do Congresso, o presidente brasileiro deve se dirigir, às 15h45, ao aeroporto, onde embarcará de volta a Brasília às 16h30.No Palácio do Governo, será realizada a segunda cerimônia, para que Morales receba o bastão que simboliza a passagem do poder e equivale à faixa presidencial brasileira. Só terão acesso a essa cerimônia autoridades, membros de delegações oficiais e diplomatas credenciados. Do lado de fora, na Praça de Armas, um telão vai transmitir, ao vivo, a cerimônia. Mais de 30 mil pessoas são esperadas. Durante toda a semana, a Bolívia se preparou para a posse. As ruas foram limpas, os camelôs estão proibidos de trabalhar desde ontem e as ruas são todas vigiadas pelas Forças Armadas e pela polícia. Mais de oito mil soldados fazem a segurança dos chefes de Estado. Segundo os jornais locais, o governo gastou mais de US$ 60 milhões na preparação da cerimônia.Um cordão de soldados vai isolar o presidente Evo Morales no percurso que fará do Congresso à Praça dos Heróis. Lá, será realizada a Cerimônia do Compromisso. Durante a semana, vários treinamentos foram feitos no local para garantir a segurança. As emissoras de TV bolivianas mostraram, durante todo o dia de ontem, a chegada dos chefes de Estado a La Paz, manifestando preocupação com a segurança no evento. O Movimento ao Socialismo (MAS), partido pelo qual foi eleito Evo Morales, teme que, quanto mais popular se torne o novo presidente, mais aumente o perigo de um possível atentado.Antes de Morales se mudar para La Paz, sua nova casa será toda revistada. O objetivo é detectar a existência de possíveis aparelhos de escuta, telefones sem fios e outros meios de espionagem. O mesmo trabalho será feito na sede do partido e nos gabinetes da nova equipe.Na noite de hoje, Morales oferecerá um jantar aos chefes de Estado e de governo. As informações são da Radiobrás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.