Delegações de China e Taiwan se reúnem para unificar idioma

Um dicionário da língua chinesa que unifique o diferente uso feito do idioma na China e em Taiwan é debatido no 5º Fórum Econômico, Comercial e Cultural dos Dois Lados do Estreito, inaugurado pelo presidente do Kuomintang

EFE,

11 de julho de 2009 | 04h20

Mais de 500 delegados de China e Taiwan, incluindo representantes de partidos no Governo, começaram neste sábado em Changsha, no centro chinês, um fórum econômico e cultural no qual a unificação do idioma será um dos principais pontos da agenda.

 

Um dicionário da língua chinesa que unifique o diferente uso feito do idioma na China e em Taiwan é debatido no 5º Fórum Econômico, Comercial e Cultural dos Dois Lados do Estreito, inaugurado pelo presidente do Kuomintang (KMT, governante em Taiwan), Wu Poh-hsiung.

 

Taiwan, onde o chinês é também a língua oficial, utiliza caracteres tradicionais para escrever, da mesma forma que Hong Kong e Macau, enquanto a China usa uma versão simplificada, após uma reforma introduzida pelo regime comunista.

 

O presidente taiuanês, Ma Ying-jeou, partidário de uma maior aproximação com Pequim, destacou em declarações que é necessário que especialistas de ambos os territórios troquem ideias e que o uso de caracteres tradicionais seja promovido na China para um intercâmbio cultural.

 

O fórum não conta com a participação de representantes da oposição taiuanesa, que considera a aproximação cultural e esse tipo de intercâmbios mais um passo do KMT e do Partido Comunista da China para avançar rumo à união política entre ambos os territórios, separados desde 1949.

 

A delegação chinesa no fórum é liderada por Jia Qinglin, presidente do principal órgão assessor governamental e "número quatro" na hierarquia comunista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.