Luis Acosta/AFP Photo
Luis Acosta/AFP Photo

Delegações do governo e das Farc reunidas em Havana falam em manter cessar-fogo

Ambos os lados continuam seguindo o cronograma definido no pacto e decidiram criar um 'protocolo' para garantir a continuidade da trégua e prevenir 'qualquer incidente'

Fernanda Simas, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2016 | 15h12

As delegações negociadoras das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do governo do presidente colombiano Juan Manuel Santos, que voltaram a se reunir nesta semana em Havana, Cuba, após o acordo no qual trabalharam nos últimos quatro anos ser rejeitado pela população no plebiscito do domingo, afirmaram nesta sexta-feira, 7, que continuam seguindo o cronograma definido no pacto e decidiram criar um “protocolo” para garantir a continuidade do cessar-fogo bilateral e prevenir “qualquer incidente” em um momento de incerteza política.

O cessar-fogo bilateral e definitivo foi decretado 29 de agosto, um dia após governo e guerrilha chegarem ao acordo final de paz. No entanto, nesta semana o tema causou preocupação porque, após a vitória do "não" na consulta de domingo, o presidente Santos anunciou que a trégua vai até o dia 31, podendo ser prorrogada. A decisão causou surpresa nas Farc.

Para garantir a segurança e a tranquilidade, as equipes negociadoras - que ficaram reunidas por três dias - pedem que o Conselho de Segurança da ONU autorize a missão das Nações Unidas na Colômbia para fazer o trabalho de monitoramento, verificação e resolução de diferenças.

As duas delegações disseram que ouvirão as propostas daqueles que votaram contra o acordo atual, mas qualquer ajuste deve ser discutido entre governo e guerrilha. “É conveniente que continuemos escutando, em um processo rápido e eficaz, os diferentes setores da sociedade para entender suas preocupações”, afirma documento emitido pelos negociadores. 

Veja abaixo: Santos ganha Nobel da Paz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.