Democratas desafiam, mas Bush irá vetar retirada do Iraque

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, manteve-se firme ao anunciar nesta terça-feira, 24, que não aceitará uma data para a retirada de tropas americanas do Iraque, e prometeu vetar um projeto de lei em tramitação no Congresso que estabelece um cronograma para tal."Estou desapontado com o rumo escolhido pelos democratas", disse Bush. "Eles têm o direito de protestar, mas isto é errado para nossos soldados e para nosso país. Aceitar este projeto de lei do Congresso seria uma contradição com nossos comandantes militares", acrescentou.Os líderes democratas do Congresso dos Estados Unidos aprovaram na segunda-feira, 23, uma versão comum do projeto de lei sobre o financiamento das guerras do Iraque e do Afeganistão. Embora aprove um novo aporte de verbas para os conflitos, a proposta estabelece que a retirada das tropas deve começar em 1 de outubro e terminar seis meses depois.Além de propor a retirada gradual das tropas, o projeto, com um orçamento de US$ 124 bilhões, reserva mais de US$ 90 bilhões para os conflitos no Iraque e Afeganistão.Fontes legislativas informaram que os democratas Harry Reid, líder do Senado, e Nancy Pelosi, que lidera a maioria na Câmara de Representantes, esperam concluir o projeto na sexta-feira. No entanto, Bush já afirmou que pretende vetar a medida.O presidente americano disse ainda que os soldados não podem ficar no meio de uma briga política entre a Casa Branca e o Congresso, que possui maioria democrata."Na segunda, os democratas anunciaram que pretendem liberar milhões de dólares em algo não relacionado com o problema real da guerra e exigindo arbitrariamente uma data para retirada", afirmou Bush.Segundo o presidente, os democratas querem que a retirada das tropas americanas no Iraque comece no dia 1º de julho e termine em outubro, mas não percebem que o plano em Bagdá ainda não foi concluído.Os democratas argumentam que a eleição de novembro, que os colocou na liderança do Congresso, mostra que a população não está satisfeita com a política direcionada ao Iraque e quer mudanças.Entretanto, Bush usou o mesmo argumento de forma invertida. "A população não votou nos líderes do Congresso para que eles falhassem", afirmou o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.