Mark Makela/The New York Times
Mark Makela/The New York Times

Democratas pedem voto antecipado e grande comparecimento diante de ameaças de Trump

Autoridades do partido se dizem temerosas que as declarações do presidente contra a votação por correspondência possam reduzir a presença de eleitores

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2020 | 16h05

WASHINGTON - Apoiadora de Joe Biden, Cindy Kalogeropoulos não quis correr riscos quando sua cédula para votação à distância na eleição presidencial dos Estados Unidos chegou no dia 29 de setembro. A moradora do Michigan preencheu o documento, dirigiu 11 quilômetros até o local de entrega mais próximo e ficou por perto para ver se as autoridades eleitorais o recolheriam - tudo em apenas 48 horas depois de recebê-lo.

No vizinho Ohio, Eric Bjornard, de 42 anos, e sua mulher, Abigail, também apoiadores do candidato presidencial democrata, agiram igualmente rápido. O casal entregou as cédulas pessoalmente no escritório das autoridades eleitorais locais no mês passado, cinco semanas antes da eleição de 3 de novembro.

Líderes democratas estão exortando os apoiadores de Biden a comparecer em grande quantidade e votar antecipadamente, em meio aos temores de que nada além de uma vitória por ampla margem impedirá o presidente republicano Donald Trump de contestar o resultado da votação.

Pedir aos eleitores que tenham fé no processo democrático e simultaneamente admitir que um êxito estrondoso pode ser a única maneira de tirar o presidente é algo difícil de equilibrar, disseram mais de uma dúzia de autoridades do Partido Democrata e conselheiros da campanha de Biden à Reuters.

Trump declarou diversas vezes, sem provas, que a votação pelo correio é repleta de fraudes e a eleição está sendo “manipulada” a favor dos democratas, e ao mesmo tempo se recusa a se comprometer a ceder o poder pacificamente se perder, o que pode abrir caminho para legislaturas estaduais, os tribunais ou o Congresso decidir o desfecho.

Autoridades democratas disseram temer que as afirmações de Trump reduzam o comparecimento às urnas, fazendo os eleitores de Biden acreditar que suas cédulas não contarão.

Poder do voto

O que emergiu foi uma abordagem que pretende enfatizar o poder que os eleitores têm para mandar Trump embora se agirem logo. Em Ohio, por exemplo, David Pepper, líder estadual do Partido Democrata, disse que sua equipe está usando os ataques de Trump à votação para incentivar os apoiadores de Biden a enviar seus votos pelo correio imediatamente ou votar pessoalmente com antecedência.

Embora um comparecimento precoce seja estimulante para os democratas, a campanha de Biden está se preparando para o pior. Democratas dizem que estimular a votação é especialmente crítico neste ano porque os republicanos estão tentando limitar a votação pelo correio, apesar da pandemia, e os dois partidos discutem a forma como os votos são contados em Estados-chave.

Várias pesquisas nacionais mostram que Biden obteve uma vantagem de dois dígitos sobre Trump desde o debate caótico de setembro, no qual o republicano interrompeu seu rival diversas vezes, e da hospitalização de Trump com covid-19 alguns dias depois. A maioria dos americanos rejeita a abordagem de Trump para a pandemia, que já matou mais de 216 mil pessoas no país./Reuters

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.