Democratas pressionam Weiner a renunciar

O deputado fiscalizador da minoria do Partido Democrata na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Steny Hoyer (Maryland), se uniu hoje ao coro de legisladores que pedem a renúncia do deputado Anthony Weiner, do Partido Democrata de Nova York, após um escândalo sexual envolvendo acusações de relacionamentos online com pelo menos seis mulheres. Hoyer afirmou que não acredita que Weiner possa efetivamente representar seus eleitores e o alertou para que renunciasse.

AE, Agência Estado

12 de junho de 2011 | 20h26

"Eu espero que o Sr. Weiner use essa oportunidade para refletir sobre como ele pode proceder", comentou Hoyer em entrevista à rede CBS. "Espero que ele faça esse julgamento." O deputado Hoyer acrescentou que o Comitê de Ética da Câmara pode tentar cassar Weiner formalmente, mas o processo levaria muito tempo.

Os comentários acompanham uma série de outros pronunciamentos de deputados no sábado, como o da líder de minoria do Partido Democrata, Nancy Pelosi (Califórnia), e o da presidente do Comitê Democrático Nacional, Debbie Wasserman Schultz (Flórida), que avaliam ser a hora de Weiner deixar o Congresso.

Em comunicado, Schultz disse que "essa questão sórdida se tornou uma distração inaceitável para o deputado Weiner, sua família, seus eleitores e a Câmara - e para o bem de todos ele deve renunciar e atender às coisas que devem ser as mais importantes - o bem-estar de sua família".

Weiner anunciou no sábado, por meio de porta-voz, que tirará uma licença breve enquanto passar por um "tratamento". Neste domingo, na rede CBS, o presidente do Comitê de Orçamento da Câmara, Paul Ryan (Partido Republicado de Wisconsin), que apareceu com Hoyer, também afirmou que Weiner deve deixar o cargo para que os legisladores possam evoluir em questões mais importantes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAescândaloWeiner

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.