Democratas reduzem pressão contra guerra no Iraque

Líderes democratas decidiram parar de investir contra a política militar de George W. Bush para o Iraque. Eles preferem que o governo continue com uma frente de batalha em Bagdá e que não tenha argumentos para abrir uma outra frente, contra o Irã.Os democratas estão desistindo de tentar aprovar uma lei para contra o envio de ajuda financeira às tropas no Iraque. O objetivo é impedir que Bush possua o dinheiro necessário para iniciar uma guerra contra o Irã, disseram fontes ligadas ao governo nesta terça-feira, 13.A presidente da Câmara americana, Nancy Pelosi, e outros líderes concordaram em retirar uma solicitação em relação ao Irã depois que democratas conservadores e outros parlamentares começaram a se preocupar com um possível impacto em Israel.No entanto, o projeto de lei que visa a retirada de tropas americanas do Iraque em setembro de 2008 continua na agenda para ser votada na próxima quinta-feira, 15, pelos parlamentares.A medida providencia cerca de US$ 100 bilhões para pagar as duas guerras, mais do que Bush havia pedido para operações no Afeganistão. Ainda, republicanos disseram que vão apoiar a lei e a Casa Branca ameaçou vetá-la."Os republicanos continuarão unidos em seu debate e irão se opor aos esforços dos democratas em alcançar a vitória contra o terror", disse o líder partidário John Boehner.O vice-presidente americano, Dick Cheney, criticou a lei que pretende retirar as provisões do Exército americano. "Eles estão dizendo aos nossos inimigos a hora certa de agir", disse Cheney.No entanto, os democratas ainda lutam para aprovar uma lei que satisfaça liberais e conservadores em relação à retirada de tropas do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.