Democratas vacilam e abrem a guarda para republicanos

Nesta semana a Casa Branca debate os reflexos que o dilema dos democratas pode ter na guerra. Bush pretende enviar mais 21,5 mil soldados ao Iraque. Os democratas expõe um racha interno e os líderes do Partido parecem não querer se opor à política de George W. Bush. Enquanto a Casa dos Representantes (equivalente à Câmara dos Deputados) abre as discussões para uma resolução simbólica ao acúmulo da tropas de Bush, os democratas estão alinhados para impedir que os republicanos ofereçam sua própria versão. O medo é que uma definição alternativa dos republicanos pudesse expor uma divisão interna do Partido Democrata sobre restringir o envio de verbas para as tropas."Nós não acreditamos ser confundidos por outras versões que possam ser levantadas," disse Steny H. Hoyer, líder majoritário do Partido Democrata à rede de televisão americana NBC sobre o dilema do partido, no último domingo. Hoyer havia dito anteriormente que os republicanos teriam uma possibilidade de mostrar sua própria versão, mas que "não era necessariamente", o caso. Os que registram oposição ao plano de aumentar o efetivo de soldados são membros moderados e novos que aproveitam a onda de descontentamento público sobre o Iraque. Muitos democratas na Casa dos Representantes se mostraram passivos e puderam aceitar uma resolução a favor de o Congresso continuar enviando verbas às tropas no Iraque. Temerosos de estar se opondo à política do presidente George W. Bush no Iraque, líderes do partido não estão se posicionando. A respeito do Iraque, a estratégia dos líderes é particularmente importante dentro da disputa para novos membros moderados que destituíram republicanos, pelo descontentamento público com a Guerra. Os constituintes conservadores foram rejeitados por perderem a noção do prazo ou dos gastos permanentes com o envio de tropas. O fenômeno ecoa também no Senado, onde os democratas estão em desvantagem por permitirem aos republicanos a possibilidade do debate de uma medida que estanque o envio de novas tropas. Republicanos dizem que reconhecem uma definição que expressa um compromisso a financiar as tropas poria democratas em coesão. Outro democrata, Ed Perlmutter, disse que estaria inclinado a suportar uma definição para manter o fundo para as tropas no Iraque. Para ele, as tropas estão executando sua missão "magnificamente". Perlmutter acrescentou que um debate neste momento sobre o financiamento seria prematuro e que os republicanos estão "atropelando" os democratas. Acrescentou que não há consenso sobre a manutenção do fundo para a continuidade da Guerra entre os democratas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.