Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Democratas vencem no Alasca

Vitória deixa partido perto do amplo controle do Senado

AP E REUTERS, O Estadao de S.Paulo

20 de novembro de 2008 | 00h00

O senador republicano Ted Stevens perdeu sua vaga no Senado do Alasca para o democrata Mark Begich. O resultado preliminar foi divulgado ontem, após ser constatado que a vantagem de 3 mil votos de Begich não tem como ser superada. A definição demorou duas semanas a mais que em outras regiões do país por causa da lenta apuração de votos enviados pelo correio. Stevens era o senador mais antigo do Congresso - esse seria seu sétimo mandato. Em outubro, ele foi condenado por corrupção, o que praticamente o tirou da disputa. Com a eleição de Begich, os democratas têm agora 58 cadeiras e estão perto de obter as 60 necessárias para controlar completamente o Senado. Os democratas ainda podem atingir essa marca porque duas disputas estão indefinidas. Em Minnesota, a contagem final apontou uma vitória do republicano Norm Coleman sobre o democrata Al Franken por apenas 206 votos, ou 0,007%. Pela lei local, é necessária uma recontagem manual caso ocorra uma vitória por uma margem inferior a 0,5%, o que deve atrasar o resultado oficial.A outra indefinição é na Geórgia, onde a eleição será decidida no segundo turno, dia 2, já que pela lei estadual é preciso ter mais de 50% dos votos. A disputa está apertada entre o republicano Saxby Chambliss e o democrata Jim Martin. A importância da eleição é tanta que grandes nomes dos dois partidos - como John McCain e Bill Clinton - já passaram pelo Estado para fazer campanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.