Denúncia de corrupção pode prejudicar republicanos na Flórida

Candidato a deputado é acusado de não declarar ganhos de empresa em contrato com USAID

AP,

27 de outubro de 2010 | 16h59

TALAHASSE - O Partido Republicano pode perder uma cadeira na Câmara dos Representantes nas eleições legislativas americanas do próximo dia 2 por causa de possíveis irregularidades na declaração de renda de um de seus candidatos do Estado da Flórida.

Veja também:

especial Infográfico: A disputa, Estado por Estado

blog Radar Global: Conheça alguns dos candidatos

O republicano David Rivera, que concorre a uma vaga na Câmara dos Representantes pelo 25º distrito, teria omitido quanto recebeu por meio de uma empresa em seu nome que tinha contratos com a Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID, na sigla em inglês).

A suspeita foi levantada por simpatizantes de seu adversário, o democrata Joe García. Eles acusam Rivera de ter descumprido uma lei da Flórida que exige a declaração de toda receita anual acima de US$ 1 mil. Uma denúncia similar levou um político da cidade de Tampa, também na Flórida, a deixar a disputa pelo Senado estadual.

As eleições no distrito 25 são peça-chave na disputa acirrada pelo domínio do Legislativo americano. Os democratas temem perder o atual controle da Câmara dos Representantes e têm neste distrito um dos poucos locais nos quais podem roubar uma cadeira republicana.

Em sua declaração de renda, Rivera confirmou os contratos de sua empresa, a InterAmerican Government Relations, com a USAID, mas não disse quanto recebeu. A agência, por sua vez, disse não ter conhecimento de Rivera ou de sua companhia.

Na terça-feira, a Florida International University confirmou à agência de notícias AP que Rivera ganhou cerca de US$ 7 mil como professor adjunto entre agosto de 2003 e agosto de 2004, receitas que não foram declaradas pelo candidato.

Rivera se negou a fornecer qualquer tipo de informação sobre os contratos da InterAmerican Government Relations com a USAID. Segundo a campanha do republicano, qualquer omissão nas declarações foi involuntária e será corrigida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.