Denunciado novo conflito por diamantes na África

Soldados e policiais angolanos expulsaram pelo menos 10.000 congoleses de regiões ricas em diamante do norte do país durante uma campanha de violência de um mês, apoiada por gangues armadas, revelaram autoridades congolesas, defensores dos direitos humanos e supostas vítimas dos ataques.A repressão ocorre em um momento no qual são cada vez maiores as queixas de Angola de que cidadãos congoleses e de outras nacionalidades estão saqueando minas de diamantes do país. Angola é a quarta maior fonte mundial da pedra.Autoridades angolanas recusaram-se a comentar as supostas expulsões forçadas. Em Luanda, João Pedro, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, alegou não ter como confirmar ou negar as acusações.Sobreviventes que conseguiram chegar a um local seguro na fronteira com a República Democrática do Congo (RDC, ex-Zaire) contaram que os ataques das forças angolanas de segurança começaram no fim de dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.