Denunciador do programa nuclear de Israel é preso de novo

Policiais fortemente armados invadiram uma igreja cristã em Jerusalém e prenderam Mordechai Vanunu, que havia passado 18 anos preso por divulgar informações sobre o programa nuclear israelense. Vanunu foi preso, desta vez, sob a acusação de divulgar informação secreta. A Igreja Anglicana, responsável pelo templo violado, condenou a ação policial.Vanunu, que tem 48 anos, havia sido libertado em abril, depois de 18 anos preso, boa parte da sentença cumprida em confinamento solitário. Nesta manhã, cerca de 20 policiais, com coletes à prova de balas e metralhadoras, invadiram o complexo da Igreja de São Jorge, onde Vanunu vive como hóspede. Ele foi capturado enquanto tomava café da manhã. A polícia revistou o quarto do prisioneiro e confiscou seu computador. Vanunu foi condenado em 1988 por ter repassado fotografias do reator nuclear israelense de Dimona a um repórter do jornal britânico The Sunday Times. Os detalhes levaram especialistas a concluir que Israel possuía o sexto maior arsenal nuclear do planeta. Israel segue uma política de ambigüidade com relação a seu programa nuclear, sem confirmar nem negar a posse de armas nucleares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.