Denunciados maus-tratos "sistemáticos" no Afeganistão

Os prisioneiros sob custódia dos Estados Unidos no Afeganistão sofrem abusos "sistemáticos", denunciou o grupo Human Rights Watch, ao pedir que uma rede de presídios secretos de onde vieram acusações de abuso físico e sexual seja aberta para análise externa.Depois do surgimento de um escândalo envolvendo o abuso de prisioneiros no Iraque, grupos de defesa dos direitos humanos exigiram dos Estados Unidos que finalmente esclareçam a morte de três afegãos, cujos inquéritos arrastam-se desde 2002. "Os Estados Unidos demonstraram ser incapazes de policiar seus próprios centros de detenção", disse John Sifton, especialista em assuntos afegãos do Human Rights Watch, com sede em Nova York.Defensores dos direitos humanos queixam-se há muito tempo de que há acusações consistentes de abusos dentro dos presídios mantidos pelos EUA no Afeganistão desde a queda do regime fundamentalista islâmico Taleban, no fim de 2001. A pressão sobre o Exército americano aumentou depois da revelação de abusos no Iraque, mas militares dos EUA insistem que tratam "humanamente" seus detentos no Afeganistão, e que seus procedimentos foram melhorados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.