Denúncias de crimes de ódio no Reino Unido aumentam 500% após Brexit, diz polícia

Número de crimes de ódio denunciados para a polícia via internet – uma das diversas maneiras pelas quais incidentes podem ser relatados – foi de 331 desde a votação, comparado com uma média semanal de 63

O Estado de S. Paulo

30 Junho 2016 | 20h32

LONDRES - O número de crimes motivados por ódio relatados ao serviço online da polícia britânica, incluindo algumas agressões, aumentou em mais de 500% na semana posterior ao país ter votado para deixar a União Europeia (UE), afirmou uma comandante policial nesta quinta-feira, 30.

O número de crimes de ódio denunciados para a polícia via internet – uma das diversas maneiras pelas quais incidentes podem ser relatados – foi de 331 desde a votação, comparado com uma média semanal de 63, afirmou Sara Thornton, presidente do Conselho Nacional de Comandantes Policiais.

O aumento coincide com histórias que estão sendo contadas sobre abusos contra muçulmanos e cidadãos do leste europeu após o referendo, no qual a preocupação com a imigração levou muita gente a votar para sair da UE, bloco de 28 países.

"Estou chocada e indignada com alguns dos casos de abuso racial ou contra imigrantes que foram relatados nesta semana”, afirmou ela em comunicado. O Conselho lançou uma campanha para que as pessoas denunciem esses crimes. 

 

"Migrantes estão denunciando abuso verbal, comentários negativos nas redes sociais, incluindo linguajar xenofóbico, panfletos anti-imigrantes e, em números muitos limitados, agressões físicas.”

Críticos acusam pessoas da campanha para deixar a UE de incitar a xenofobia e o racismo, como parte da mensagem de que a saída do bloco permitiria que o Reino Unido parasse com a imigração descontrolada, que para muitos britânicos é responsável por colocar pressão sobre a disponibilidade de empregos e os serviços públicos. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.