Evert-Jan Daniels / ANP / AFP
Evert-Jan Daniels / ANP / AFP

Denver é primeira cidade americana a permitir cogumelos alucinógenos

Capital do Colorado, que foi pioneira na legalização da maconha, aprovou medida por referendo popular nesta quarta, 08

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2019 | 02h50

Um referendo realizado nesta quarta-feira, 08, transformou a cidade de Denver na primeira dos Estados Unidos a descriminalizar os cogumelos alucinógenos, quase 15 anos depois de ter sido pioneira com a legalização da maconha. Os moradores da capital do estado do Colorado aprovaram - por estreita margem de 50,6% dos eleitores - a iniciativa 301, que permite a posse e o uso pessoal de cogumelos de psilocibina entre maiores de 21 anos.

Na prática, a iniciativa não legaliza a compra, venda ou posse da droga, mas determina aos policiais que não coloquem os usuários de psilocibina entre suas prioridades. O referendo deverá ser confirmado no próximo dia 16 de maio, com a apuração dos votos dos militares e do estrangeiro.

Segundo diversos estudos, a psilocibina, princípio ativo dos "cogumelos mágicos", não é considerada viciante e pode ajudar a combater a depressão e a dependência em opioides, analgésicos que causam milhares de mortes por overdose anualmente nos Estados Unidos.

"Os seres humanos utilizam estes cogumelos há milhares de anos como tratamento, ritual de passagem, meio de elevação espiritual", escreveu em sua página na Internet o grupo Descriminalize Denver, que anunciou em janeiro a coleta de assinaturas em número suficiente para que a iniciativa fosse submetida a referendo.

Em 2005, Denver se tornou a primeira grande cidade americana a legalizar, por referendo, a posse de pequenas quantidades de maconha. O uso recreativo da erva é legal desde 2014 no estado do Colorado, um dos pioneiros no tema, ao lado de Washington e Oregon. Atualmente, a estes se somam outros sete, inclusive a Califórnia. Com fins medicinais, seu uso é legal em mais de 30 estados americanos (de um total de 50). / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.