Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Scott Olson/Getty Images/AFP
Scott Olson/Getty Images/AFP

Departamento de Estado propõe publicar e-mails de Hillary em janeiro de 2016

Cerca de 55 mil mensagens trocadas pela então secretária de Estado de uma conta pessoal devem ser divulgados na web pouco antes de primeiro grande evento eleitoral das primárias democratas

O Estado de S. Paulo

19 de maio de 2015 | 09h23

WASHINGTON - O Departamento de Estado americano propôs à Justiça americana na segunda-feira, 19, divulgar em janeiro os e-mails do período em que Hillary Clinton esteve à frente da diplomacia dos Estados Unidos.

São 55 mil páginas de e-mails correspondentes ao período de 2009 a 2012 que a ex-secretária de Estado entregou ao Departamento após a polêmica gerada pelo fato de Hillary ter usado durante esses quatro anos uma conta de e-mail pessoal para suas comunicações.


Os e-mails estão sendo revisados por funcionários do Departamento de Estado, que agora propõe publicá-los no dia 15 de janeiro de 2016, apenas duas semanas antes do primeiro grande evento eleitoral das primárias democratas, o "caucus" de Iowa, previsto para 1º de fevereiro.

A divulgação desses documentos, quando ele ocorrer, será uma resposta a um protesto interposto pelo veículo de comunicação "Vice News", em prol da Lei de liberdade da informação.

"O Departamento entende o considerável interesse público destes documentos e está se esforçando para concluir a revisão o mais rápido possível", disse ao juiz o diretor de Programas de Informação e Serviços do Departamento de Estado, John Hackett.

O Departamento de Estado está dividindo o material em em pequenos lotes, com planos de rever cerca de 1.000 e-mails por semana. Além de especialistas do Departamento, outras agências governamentais quando pertinente, incluindo o Departamento de Defesa, a CIA e o Conselho de Segurança Nacional revisarão os e-mails antes da divulgação.

"Atualmente, esse projeto é composto em tempo integral por um gerente de projeto e dois analistas, bem como nove revisores que dedicam a totalidade do seu tempo no Departamento de Estado para este esforço, além de outros analistas e especialistas em tecnologia da informação que prestam assistência a esta avaliação, além de seus deveres regulares", explicou o órgão em documento enviado à Justiça. "A equipe de gestão deste projeto se reúne diariamente desde o início de abril para implementar e supervisionar essa grande tarefa."

Ainda de acordo com Hackett, "a coleção é volumosa e, em razão da abrangência de temas, da natureza das comunicações e do interesse de várias agências, apresenta muitos desafios". O diretor propôs o dia 15 de janeiro como data para publicação do material.

Caso o pedido do Departamento de Estado seja aceito, os e-mails de Hillary serão divulgados mais de um ano depois que foram entregues pela ex-secretária de Estado.

A ex-primeira-dama, que parte como favorita para ser a candidata democrata nas eleições de 2016, reconheceu em março que teria sido "mais inteligente" usar uma conta de e-mail oficial e garantiu que somente apagou as mensagens que continham comunicações pessoais, não as relacionadas com seu trabalho como secretária de Estado. / EFE e NYT

Tudo o que sabemos sobre:
Hillary ClintonEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.