Departamento de Justiça dos EUA investigará caso

LONDRES

, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2011 | 00h00

O secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, disse ontem que o Departamento de Justiça começou a investigar as atividades nos EUA da News Corp., empresa comandada pelo magnata Rupert Murdoch. Holder confirmou que o FBI - a polícia federal americana - iniciou suas próprias investigações sobre grampos a parentes de vítimas dos ataques de 11 de Setembro.

De acordo com Holder, a investigação foi aberta a pedido de membros do Congresso e todas as agências federais adequadas podem ser acionadas - o FBI é uma delas.

A decisão foi tomada depois que o deputado republicano Peter King - e outros congressistas - escreveram para Robert Mueller, diretor do FBI, exigindo a apuração do caso. "De acordo com relatórios recentes, jornalistas que trabalhavam para o News of the World solicitaram a um policial de Nova York o acesso aos arquivos telefônicos das vítimas do 11 de Setembro", afirmou o congressista na carta.

Pesou também a pressão feita pelo senador democrata Jay Rockefeller, que discursou pela abertura de uma investigação para determinar se a privacidade de cidadãos americanos foi violada. "As supostas escutas dos jornais da News Corp. contra uma gama de indivíduos, até mesmo crianças, são ofensivas e uma grave transgressão da ética jornalística", disse Rockefeller.

O senador Frank Lautenberg também sugeriu que o Departamento de Justiça considerasse investigar o suborno aos policiais britânicos. Como a empresa de Murdoch tem sua base nos EUA, o pagamento violaria a Lei de Práticas Corruptas Estrangeiras. Grupos de defesa de interesses públicos e civis, incluindo opositores da News Corp. e de Murdoch há anos, já preparam petições para propor discussões no Congresso sobre a conduta da empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.