AFP PHOTO
AFP PHOTO

Departamento de Transporte dos EUA autoriza 8 companhias a voarem a Havana

Empresas aéreas passarão a fazer os trajetos até a capital cubana ainda em 2016, e poderão contar com até 20 viagens de ida e volta

O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2016 | 13h55

HAVANA - O Departamento de Transporte dos Estados Unidos (DOT) autorizou oito companhias aéreas a fazerem a rota entre 10 cidades do país e Havana. As empresas começarão a voar à capital cubana ainda neste ano, e poderão contar com até 20 viagens de ida e volta, anunciou uma fonte oficial.

As companhias Alaska, American Airlines, Delta, Frontier, JetBlue, Southwest, Spirit e United receberam permissão para conectar Havana com as cidades de Atlanta, Charlotte, Fort Lauderdale, Houston, Los Angeles, Miami, Newark, Nova York, Orlando e Tampa, segundo um comunicado.

A decisão foi divulgada no mesmo dia em que aterrissou em Cuba o primeiro voo comercial entre os dois países desde 1961, em um novo marco na normalização das relações bilaterais iniciada em dezembro de 2014.

No voo inaugural, operado pela JetBlue e que fez o trajeto de Fort Lauderdale, na Flórida, à Santa Clara, viajava o secretário de Transporte dos Estados Unidos, Anthony Foxx. O comunicado do DOT qualificou a chegada de Foxx ao território cubano como "parte do esforço histórico da administração do presidente Barack Obama para normalizar as relações com Cuba".

"As ações de hoje são o resultado de meses de trabalho das companhias aéreas, cidades, do governo americano e muitos outros a fim de materializar a promessa do presidente Obama de se reencontrar com Cuba", indicou Foxx.

O secretário americano afirmou que "o transporte tem um papel único nesta iniciativa histórica" e ressaltou a satisfação da administração americana perante os "benefícios que estes novos serviços proporcionarão" às pessoas que puderem viajar a Cuba. No entanto, a capital cubana ainda é um destino vetado para os turistas americanos por continuar vigente o bloqueio econômico dos Estados Unidos.

O DOT destacou que na lista de companhias aéreas autorizadas a voar para Havana há empresas de diversos perfis, entre elas várias de baixo custo. Com a decisão, o Departamento considera que haverá conexão aérea direta a regiões com elevada porcentagem de população cubano-americana, assim como a cidades com aeroportos estratégicos.

"O objetivo principal do Departamento ao realizar a seleção foi conseguir o máximo de benefício público, o que inclui a escolha de companhias aéreas que oferecem e podem manter o melhor serviço entre Estados Unidos e Havana", diz a nota.

A esperada autorização dos voos diretos a Havana foi a última a ser divulgada pois o número de solicitações ultrapassou o inicial de 20 voos diários pactuado pelos dois governos dentro do acordo sobre aviação civil, assinado em fevereiro.

Veja abaixo: EUA tem voos para Cuba

O acordo inclui 110 voos diários diretos a 10 cidades de Cuba, embora enquanto seguir vigente o bloqueio econômico só poderão visitar a ilha os cidadãos dos Estados Unidos que estiverem nas 12 categorias de viagens permitidas pelo governo americano.

As razões de viagem permitidas para os americanos estão relacionadas com atividades culturais, empresariais, educacionais e jornalísticas. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.