Arquivo/AP
Arquivo/AP

Depoimento secreto de Nixon para o caso Watergate pode ser revelado

Juiz ordena publicação, mas governo, que se opõe à divulgação, ainda pode recorrer

Reuters

29 de julho de 2011 | 17h55

WASHINGTON - Um juiz federal dos Estados Unidos ordenou nesta sexta-feira, 29, que o depoimento secreto do ex-presidente Richard Nixon para o caso Watergate seja divulgado devido a sua importância para a história do país. As declarações foram feitas há 36 anos.

 

A pedido do historiador Stanley Kutler, o juiz Royce Lamberth ordenou que o depoimento do ex-presidente, dado em 23 e 24 de junho de 75, seja publicado. Kutler já escreveu vários livros sobre Nixon e o escândalo Watergate, que envolveu o ex-presidente.

 

Nixon foi interrogado pelo escândalo político que surgiu do roubo de informações da sede do Comitê Nacional Democrata, no complexo de escritórios Watergate, em Washington. O caso provocou o fim de seu mandado em 9 de agosto de 1974 e se tornou o único episódio no qual um presidente americano apresentou sua renúncia. Vários funcionários do governo também acabaram presos.

 

Em um veredicto de 15 páginas, Lamberth determinou que as circunstâncias especiais, sobretudo o indiscutível interesse histórico do depoimento de Nixon, superam amplamente a necessidade de manter os arquivos secretos. "A revelação do depoimento do ex-presidente Nixon ante o grande júri enriquecerá o atual registro histórico, reforçará a discussão acadêmica e melhorará o conhecimento do público sobre um evento significativo", disse o magistrado.

 

O Departamento de Justiça do governo do presidente Barack Obama se opôs à revelação das palavras de Nixon, citando os interesses de privacidade dos indivíduos nomeados na declaração, entre outras razões.

 

Lamberth, porém, argumentou que esses interesses eram mínimos e acrescentou que Nixon morreu há 17 anos, assim como muitas outras pessoas citadas. Além disso, a maioria das pessoas ainda vivas envolvidas no caso escreveram sobre o Watergate, deram entrevistas ou declararam sob juramento sobre seu papel no episódio.

 

A transcrição do depoimento do testemunho de Nixon não será publicada imediatamente, já que o governo ainda pode apelar da decisão. Um porta-voz do Departamento de Justiça disse que seus advogados estão revisando o veredicto do juiz.

Tudo o que sabemos sobre:
NixonEstados UnidosWatergatejustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.