Depois da posse, dez bailes de gala

''Ela não está linda?'', indagou Obama

Lisa Tolin, Associated Press, O Estadao de S.Paulo

22 de janeiro de 2009 | 00h00

O presidente americano, Barack Obama, e a primeira-dama, Michelle, encerraram a maratona de celebrações pelo dia da posse participando de dez bailes na capital antes de se recolherem para a primeira noite na Casa Branca.Ao som de At Last ("Enfim"), composta por Etta James e cantada por Beyonce, os dois dançaram sobre o palco do Neighborhood Ball, acompanhados por centenas de olhos e câmeras de celulares ávidas por registrar as imagens intimistas do casal presidencial."Antes de mais nada, minha mulher não está linda?", disse Obama para a multidão. Michelle usava um longo vestido branco, com um dos ombros à mostra. Dos brincos aos sapatos, a primeira-dama exibia peças com motivos florais, produzidos pelo jovem designer nova-iorquino Jason Wu, de 26 anos. Sóbrio e elegante, Obama envergava um impecável smoking negro e gravata branca. Mais à vontade do que nas cerimônias da parte da tarde, o novo presidente sorria e conversava com Michelle ao pé do ouvido.Depois da dança lenta e romântica, o clima da festa esquentou com a entrada de Stevie Wonder em cena, acompanhado por um coro ilustre composto pela colombiana Shakira e outros ídolos da música pop. "Você poderia dizer que este é um presidente negro pelo jeito como ele se move", disse o comediante Jamie Foxx depois da dança.Num possível sinal dos tempos de crise, convidados que pagaram de US$ 75 até milhares de dólares para estarem ali foram servidos em copos plásticos e tiveram de pagar por suas próprias bebidas - cerveja a US$ 6 e champagne a US$ 12.Entre um balanço e outro, Obama saudou os militares americanos no Afeganistão, em uma videoconferência, juntamente com seu vice, Joe Biden. "Hoje celebramos, mas amanhã começa o trabalho", anunciou aos convidados, alguns deles membros responsáveis por, nos próximos dias, dividir com o presidente decisões importantes, aguardadas pelo mundo todo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.