Depois de 26 anos, sacerdote será julgado por assassinato

O reverendo Gerald Robinson, de 68 anos, enfrenta a partir de segunda-feira um julgamento como principal suspeito do assassinato de uma freira há 26 anos, e pode ser condenado à prisão perpétua, em Toledo (Ohio, EUA).A irmã Margaret Ann Pahl apareceu morta na capela do Hospital de Misericórdia no Sábado de Aleluia de 1980, coberta com a manta do altar. Os ferimentos no peito e no pescoço da religiosa, que foi estrangulada e recebeu 30 punhaladas, tinham forma de cruz, de acordo com os investigadores.O assassinato da freira de 71 anos, que cuidava da capela do hospital, foi um mistério por mais de duas décadas, até que os investigadores acusaram o padre que havia celebrado o funeral.Os detetives que investigam o crime não revelaram o motivo do crime, e garantem que a freira não foi estuprada.Robinson era o capelão do hospital e um padre muito popular em Toledo, cidade de classe média com aproximadamente 300 mil habitantes e onde 25% dos moradores são católicos.Por estar perto da capela no momento do crime, Robinson ficou entre os suspeitos. Mas, como não havia impressões digitais, testemunhas ou tecnologia para analisar o DNA, os investigadores não conseguiram reunir provas suficientes e o caso ficou arquivado até dois anos atrás, quando ele foi detido.Agora, os detetives que reabriram o caso dizem que as manchas de sangue no altar coincidem com as encontradas em um objeto de Robinson usado para abrir cartas.Em dezembro de 2003, uma carta de uma mulher que se dizia vítima de abusos sexuais por parte de clérigos quando era menina foi enviada ao escritório do promotor, que recomendou a reabertura de vários casos. Entre os nomes dos supostos agressores, aparecia o de Robinson.A Polícia também decidiu dar atenção aos rumores de que vários padres haviam participado de rituais de abusos sexuais.Outra mulher está processando Robinson e outros religiosos, e os acusa de tê-la torturado e estuprado em uma igreja há quase 40 anos.Embora a Polícia não tenha comprovado a veracidade dessas acusações, os investigadores afirmam que o assassinato da freira parece fazer parte de um tipo de ritual.Robinson se declarou inocente das acusações e é o único sacerdote acusado pelo crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.