Depois de 30 anos, fugitiva de 87 anos é presa

Condenada pela morte de um menino de 13 anos, uma mulher de 87 anos, de origem hispânica, foi presa depois de ficar foragida por três décadas. De acordo com a polícia, María Josefa Otero vivia em Miami há pelo menos 15 anos, depois de ter passado um tempo na Guatemala e em Porto Rico. Segundo o investigador Andy Aróstegui, ela foi presa após uma denúncia anônima de uma pessoa que informou que ela estava vivendo na Flórida com seu nome de solteira, María Josefa Viera. A prisão ocorreu na quarta-feira, segundo as autoridades. Os pais do garoto assassinado souberam da prisão por meio da imprensa e afirmam ter ficado emocionados. María Josefa foi considerada culpada pela morte de Johnny Pérez, em 1976. Um ano antes, o garoto e quatro amigos mergulharam na piscina de um edifício de propriedade da mulher, que os expulsou a tiros. O menino foi baleado na cabeça quando tentava escapar. No julgamento, a defesa argumentou que o revólver calibre 38 disparou acidentalmente. "Ela queria apenas assustá-los", disse o advogado Donald Bierman. Após ter sido declarada culpada, um juiz a deixou em liberdade para que deixasse seus assuntos em ordem antes de receber a sentença. Foi nessa época que fugiu.

Agencia Estado,

14 Abril 2006 | 17h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.