Depois de cinco anos de estiagem, China vê o primeiro arco-íris

Um arco-íris roubou a cena nesta cidade e deixou estupefatos na tarde deste domingo os habitantes de Pequim, a secular capital da China. Há anos este espetáculo natural não era observado com tamanha intensidade e acabou tornando-se manchete nos noticiários noturno da cidade que enfrenta o quinto ano consecutivo de uma grave estiagem.As chuvas que se abatem na região de Pequim nestes últimos dias se transformaram em motivo de alívio às principais autoridades da cidade. Os meteorologistas e outros cientistas se empenham como nunca para aumentar as chuvas. "Na ânsia de provocar chuvas, vale tudo, inclusive bombardear as nuvens com gelo seco", afirma uma recente reportagem da Agência de Notícias Xinhua. Segundo a imprensa chinesa, no período de julho e setembro do ano passado, o Reservatório de Miyun, o principal da cidade, recebeu 23,77 milhões de metros cúbicos de água oriundas de chuvas artificiais. Apesar disto, desde o início da estiagem, foi registrado uma queda de mais de 20 metros no nível de água da represa. Nos últimos cinco anos, devido à sua excessiva exploração, o nível dos lençóis freáticos caiu 1,29 m.Peso no bolso do consumidorA escassez de água há muito tempo já se reflete no bolso dos moradores desta Capital. Após uma interminável série de debates com as comunidades organizadas ou associações industriais e comerciais, a prefeitura de Pequim decidiu elevar os preços para conter o seu consumo. Em 2005, as tarifas pagas pelos condomínios e bairros residenciais pelo metro cúbico de água passarão de 2,9 yuans (35 centavos de dólar) para 3,7 yuans (45 centavos de dólar), com uma alta de 28%. Segundo a prefeitura de Pequim, o objetivo é conscientizar a população. Em 2002, o consumo de água utilizado para produzir cada 10 mil yuans do Produto Interno Bruto (PIB) chinês foi de 540 metros cúbicos, um índice quatro vezes maior que a média mundial. As estiagens provocam cerca de US$ 35 bilhões em prejuízos anuais à China. Para muitos, a gravidade da situação enfrentada por Pequim em relação ao seu abastecimento de água será resolvida apenas com a conclusão da rota central da Transposição de Águas do Sul para o Norte do País, prevista para o início de 2008. Ela terá 1.246 km de distância e será responsável pela chegada das lendárias águas do Rio Yangtzê a esta Capital. Arco-írisO arco-íris começou a roubar a cena em Pequim por volta das 20h (9h em Brasília). Curiosos sobre os grupos de pessoas que se formavam nas ruas para observar o fenômeno, os motoristas de carros particulares também começaram a estacionar ao longo das avenidas com menor fluxo de trânsito. Muitos sacaram suas máquinas fotográficas, a fim de registrar o momento mágico. Minutos depois, um segundo arco-íris se formou no horizonte, levando ao delírio as crianças.O arco-íris atraiu a atenção da mídia chinesa também. Alguns sites de notícias em chinês já publicavam suas fotos por volta das 21h, o mesmo acontecendo com as reportagens finais nos noticiários noturnos de TV exibidos na noite deste domingo. O fato deve se repetir amanhã, quando os principais jornais da cidade estamparem suas fotos.

Agencia Estado,

04 de julho de 2004 | 19h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.