Depois de tentar matar a mulher, ele perde o dinheiro dela

Ian Glaubes, de 46 anos, que está preso por tentar contratar um matador de aluguel para por fim à vida de sua mulher, acaba de perder mais uma parada. Hoje, ouviu uma Corte de Apelação negar seu pedido de revisão da partilha de bens do casal.Ele foi sentenciado a cinco anos de prisão em abril de 2002, depois de admitir a tentativa. E, no ano passado, um juiz do Tribunal Superior decretou, no processo de divórcio, que das quatro casas que o casal possuía, três, no norte de Londres, seriam vendidas para proporcionar um novo lar para a mulher, Jane Glaubes, e as duas filhas.Ian, que ficou com a quarta casa, entrou com pedido de revisão da sentença quando soube que uma das casas rendeu à ex-mulher 85.000 libras (R$ 450.000,00), mais do que o esperado. Seus advogados reclamaram da ?grosseira falta de igualdade? da decisão, dizendo que se distanciava de qualquer medida usada atualmente para dividir os bens de um ex-casal.Mas Ian, que saiu da prisão especialmente para ouvir o veredicto, teve um não como resposta.?Se já existiu um caso no qual as circunstâncias justificariam um distanciamento da medida de igualdade a favor da mulher, o caso é este?, disse o juiz.No julgamento de Glaubes, os promotores revelaram que o funcionário da saúde planejava matar a mulher antes que ela obtivesse a custódia das filhas e uma parte dos bens do casal, ao deixá-lo, em 1999. Um colega de Glaubes alertou a polícia e um policial fez-se passar por um matador de aluguel. Glaubes foi preso quando tentava depositar 2.500 libras (R$ 13.500,00) para cumprir o acordo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.