Depois do Ivan, EUA iniciam reconstrução de cidades

Enquanto os americanos começaram ontem a reconstruir as cidades atingidas pela passagem do furacão Ivan, que deixou um saldo de mais de 30 mortos apenas nos EUA, a tormenta Jeanne começou a atingir a região das Bahamas, após já ter atingido Porto Rico, Republica Dominicana e Haiti. Milhares de residências na costa americana do Golfo do México ficaram destruídas e quase dois milhões de pessoas ficaram sem energia elétrica após a passagem de Ivan, o terceiro furacão de grande intensidade que assolou a região nos últimos 45 dias. Os maiores estrados foram registrados nos estados da Flórida, Mississippi, Alabama e Louisiana. As autoridades ordenaram toque de recolher em algumas cidades e oficiais das guarda nacional foram mobilizados para ajudar nas tarefas de resgate e para evitar roubos e saques. Pensacola, na Flórida, foi uma das cidades mais atingidas pela tormenta. Ivan, agora, perdeu força e se transformou em uma tempestade tropical que avança sobre o leste dos EUA, causando intensas chuvas sobre toda região. Foram emitidos alertas de inundação em lugares afastados do Golfo do México, como Nova York e Nova Jérsei, enquanto que nos estados de Maryland, Virginia Ocidental, Virginia e Carolina do Norte emitiram para a defesa civil do país alertas de tornado. A empresa de seguros havia avaliado os prejuízos com o furacão em US$ 7 bilhões apenas nos EUA, valor que, segundo as autoridades, poderá aumentar. Para ajudar na reconstrução, os países do Caribe que foram atingidos pelos ventos de até 220 km/h irão receber ajuda financeira do Banco Mundial de Desenvolvimento. Enquanto os americanos reconstroem suas cidades, Jeanne, atingiu ontem a região das Bahamas e irá tomar força de furacão no começo da semana. A tormenta já deixou um saldo de pelo menos 10 mortos em sua passagem por Porto Rico, República Dominicana e Haiti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.