Depressão tropical interrompe trabalho de contenção de vazamento no Golfo

Funcionários da BP interromperam perfuração de outro poço e cargueiros estão se retirando da região.

BBC Brasil, BBC

22 de julho de 2010 | 17h06

Funcionários da petroleira britânica BP que trabalham na perfuração de um poço próximo ao poço danificado no Golfo do México estão se preparando para abandonar o local devido à aproximação de uma depressão tropical.

Existem chances entre 20% e 30% de ocorrência de ventos de 63 km/h ou mais na região onde está ocorrendo o vazamento, segundo o Centro Nacional para Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês), com sede em Miami.

Segundo o centro, a terceira depressão tropical registrada nesta época do ano poderá atingir a região do Golfo do México dentro dos próximos três dias.

Com isso, o trabalho de abertura de poços alternativos que permitiriam fechar o poço danificado permanentemente pode ser suspenso por até duas semanas.

Devido ao fato de os cargueiros estacionados no local do vazamento se movimentarem muito lentamente, o plano de evacuação da região já está sendo executado.

O funcionário do governo americano encarregado da limpeza do vazamento, o comandante da Guarda Costeira almirante Thad Allen, deve decidir junto com a BP se o poço deve permanecer fechado durante a tempestade ou abrir o poço e permitir que o petróleo volte a jorrar para o mar.

Alertas

A depressão tropical está na região das Bahamas, mas está se movendo a uma velocidade de mais de 24 km/h e pode se transformar em tempestade tropical. Os alertas de tempestade já foram implantados nas Bahamas e na maior parte da costa do Estado americano da Flórida.

Um voo de reconhecimento está sendo enviado para investigar a depressão. As chances de que os ventos que alcançarem o vazamento de petróleo possam atingir 93 km/h variam entre 5% e 10%.

No momento, o poço danificado está fechado por um dispositivo colocado na quinta-feira passada, que conteve o fluxo de petróleo para o mar pela primeira vez desde o início do vazamento, em abril.

A tampa no poço está passando por um teste de integridade para verificar se há pontos fracos no poço ou rupturas no chão, no fundo do mar.

O vazamento no Golfo do México começou em 20 de abril, quando a plataforma de petróleo Deepwater Horizon, operada pela BP, explodiu e afundou, matando 11 funcionários.

Desde então, a petroleira britânica tentou várias estratégias para conter o vazamento, localizado a uma profundidade de cerca de 1,5 mil metros, mas nenhuma conseguiu solucionar definitivamente o problema, considerado o pior desastre ambiental da história americana.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.