Deputada ferida nos EUA reage, mas continua em estado crítico

A deputada Gabrielle Giffords, do Partido Democrata atingida durante um tiroteio em Tucson, no estado do Arizona, no sábado, mostra sinais de recuperação e já consegue se comunicar e obedecer a ordens simples, informou hoje um médico da equipe que a atende.

AE, Agência Estado

09 de janeiro de 2011 | 16h36

"Estamos muito encorajados por isso, porque sua resposta implica em níveis elevados de função cerebral", disse o neurocirurgião Michael Lemole, Jr. "Mas estamos cautelosamente otimistas, porque o estado dela ainda é crítico", reconheceu o médico.

Giffords foi atingida com um tiro na cabeça durante um encontro com eleitores em um supermercado ontem, na cidade de Tucson. A deputada foi alvo de uma tentativa de assassinato que terminou em tiroteio e deixou 13 feridos e seis mortos, entre eles o juiz federal do Arizona e um assessor de Giffords.

A polícia prendeu Jared Lee Loughner, de 22 anos, como suspeito pelo tiroteio. Loughner fou descrito pelas autoridades como uma pessoa de "passado problemático". O jovem está sob custódia e a foto de um possível cúmplice foi divulgada hoje - um homem branco de cabelos escuros e entre 40 e 45 anos de idade.

Giffords é deputada pelo Partido Democrata e foi reeleita em uma votação apertada em novembro contra um candidato do ultraconservador Tea Party. Durante a campanha, Sarah Palin, uma das principais representantes do Tea Party, pediu que os eleitores rejeitassem Giffords.

O diretor do FBI, Robert Mueller, viajou para o Arizona neste domingo para ajudar nas investigações. As informações são da Associated Press e Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAdeputada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.