J. Scott Applewhite/AP Photo
J. Scott Applewhite/AP Photo

Deputado americano contra o aborto que pediu para amante fazer um vai se aposentar

Em comunicado após a repercussão do caso, Tim Murphy disse que vai 'dedicar tempo à família'

O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2017 | 21h13

PITTSBURGH – Tim Murphy, o deputado republicano contrário ao aborto que pediu para que sua amante fizesse um, anunciou nesta quarta-feira, 4, que vai se aposentar ao final de seu mandato. O anúncio veio após a repercussão do pedido, revelado por um jornal local. Em um breve comunicado, Murphy disse que "vai dedicar o seu tempo para ajudar a família". 

A reportagem foi publicada pelo jornal Pittsburgh Post-Gazette, que obteve uma mensagem de texto que o deputado Tim Murphy, da Pensilvânia, trocou com a médica forense Shannon Edwards, com quem tinha uma relação extraconjugal.

Contexto. Tim Murphy admitiu há algumas semanas a relação com a médica forense Shannon Edwards. De acordo com o jornal, em uma mensagem de texto do dia 25 de janeiro ao qual a publicação teve acesso, Shannon expressou o que aconteceu. “(Murphy) não teve problema nenhum em colocar sua posição pró-vida de lado quando me pediu para abortar nosso filho na semana passada quando nós pensávamos que eu poderia estar grávida”, afirmou ela, segundo o jornal.

A mensagem enviada do telefone de Murphy em resposta a de Shannon afirma que seu gabinete foi o responsável pelo pedido do aborto. “Eu nunca escrevi isso. Meu pessoal faz isso. Eu li isso e estremeci. Eu disse a eles (pessoal) que não fizessem mais isso”, afirmou o deputado. Shannon, no fim das contas, não estava grávida.

Murphy está em seu oitavo mandado representando um distrito no sudoeste da Pensilvânia./ AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.