Mary Altaffer/AP/Arquivo
Mary Altaffer/AP/Arquivo

Deputado americano que postou foto erótica deve renunciar

Saída deve ser anunciada nesta quinta, mesmo dia em que partido debateria afastá-lo de atribuições

AE, Agência Estado

16 de junho de 2011 | 12h23

NOVA YORK - O deputado democrata Anthony Weiner disse a amigos que renunciará, após o escândalo criado pela descoberta de que ele enviava fotos eróticas pela internet, disse a AP nesta quinta-feira, 16. O jornal New York Times e a CNN disseram que o político comunicou a decisão a amigos mais próximos, segundo a Efe.

 

Pressionado pelo Congresso e pela Casa Branca, Weiner pretende apresentar sua renúncia ainda nesta quinta, duas semanas após a divulgação de fotos e mensagens de cunho sexual que admitiu ter enviado a várias mulheres pela rede. Em uma foto publicada na rede de microblogs Twitter, Weiner aparece só de cueca.

 

A renúncia do representante de Nova York, que estava em seu sétimo mandato, pode encerrar uma promissora carreira de uma das principais vozes liberais nos Estados Unidos. Weiner é casado e negou inicialmente que as fotos fossem suas, porém teve de assumir a autoria posteriormente. O Wall Street Journal confirmou que o anúncio da renúncia será feito ainda hoje.

 

Debate

 

De acordo com a Efe, o anúncio está previsto para ocorrer no mesmo dia em que líderes democratas no Congresso planejavam reunir-se para debater se tirariam Weiner de suas atribuições no Comitê de Comércio e Energia, um passo que afetaria sua credibilidade.

 

Weiner tomou a decisão após conversar com sua esposa, Huma Abedin, que retornou na quarta-feira a Washington de sua viagem pelo Oriente Médio junto à secretária de Estado, Hillary Clinton, da qual é assessora.

 

Link

 

A polêmica começou no final de maio, quando apareceu em sua conta no Twitter um link para uma foto de um homem de cueca, enviada por uma estudante universitária de 21 anos no estado de Washington.

 

Depois de ter negado ser ele, Weiner disse que tinha sofrido um ataque de hackers para desprestigiá-lo e mais tarde admitiu que de fato tinha enviado a foto e que tinha mantido conversas "inapropriadas" com seis mulheres.

 

Dias depois, vieram à tona novas fotos que teriam sido tiradas na Câmara de Representantes dos Estados Unidos, nas quais Weiner aparece sem camisa, com uma toalha na cintura e a mão direita nas genitais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.